• Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo - 117 Anos

Estudo p/ Pequenos Grupos

JUSTIFICAÇÃO – (Romanos 5.1)

 

A “justificação somente pela fé” constitui um dos lemas característicos da Reforma Protestante. Essa é a doutrina bíblica que Lutero tomou nos lábios e, com flamejante eloquência, proclamou em toda a Europa. Calvino a considera “coluna-mestra da religião cristã” e o teólogo reformado Bavink afirma: “É o artigo do credo junto com o qual a igreja permanece de pé ou cai.” Considerando a essencialidade dessa doutrina, convém recapitular seu importante significado e seus abençoadores efeitos.

 

1) O que significa justificação?

“É um ato livre da graça de Deus em que ele perdoa todos os nossos pecados e nos aceita como justos em sua presença, mas apenas por meio da retidão de Cristo imputada a nós e recebida somente pela fé.” (Breve Catecismo de Westminster). Em outras palavras, a justificação consiste numa declaração que Deus faz a respeito do pecador eleito, não simplesmente o absolvendo sem levar em conta as reivindicações da justiça. Essa declaração divina assegura que as exigências da lei estão satisfeitas, porque a justiça de Cristo lhe é imputada. Portanto, o pecador é declarado justo única e exclusivamente por obra da graça divina, sem qualquer consideração de mérito humano. Que textos bíblicos embasam essa profunda significação? Leiamos: Rm 3.21-25; 2 Co 5.21; Gl 2.16; Rm 5.9,19; Rm 8.32-34.

 

2) Qual a natureza da justificação?

A doutrina da justificação condena todo esforço humano tendente à autojustificação. É Deus quem justifica, e não o homem. Trata-se de um ato, e não de um processo. Dá-se fora do pecador, no tribunal de Deus. Diferentemente da santificação, que é um processo contínuo operado dentro do pecador pela ação do Espírito Santo, a justificação acontece uma vez por todas e remove, definitivamente, a culpa do pecado e toda a penalidade. Assim, ninguém pode lançar nada na conta do homem justificado, que está isento de condenação, e que é constituído herdeiro da vida eterna (Rm 8.29,30; Tt 3.5-7). Agradeçamos a Deus por essa indescritível dádiva da sua graça e do seu amor!

 

3) Como podemos nos apropriar da bênção da justificação?

A Bíblia ensina que a apropriação dessa obra da graça divina dá-se exclusivamente por meio do exercício da fé em Jesus Cristo: “[...] o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei.” (Rm 3.28). A compreensão dessa verdade mudou a vida de Lutero: “A justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé. Como está escrito: O justo viverá por fé.” (Rm 1.17). Contudo, a fé não está sozinha na pessoa justificada, mas sempre anda acompanhada de todas as outras graças salvadoras; não é uma fé morta, mas atua generosamente pelo amor (Tg 2.17, 22,26; Gl 5.6) (CFW).

Presb. Marcel Mendes