• Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo - 116 Anos

Pastoral

MEU PRAZER ESTÁ NA CRUZ DE CRISTO

“Se eu fosse te indicar uma religião para se sentir confortável, certamente não te indicaria o Cristianismo”
C. S. Lewis

 

Há uma forte corrente no meio evangélico hoje que prega a busca pelo prazer pessoal antes de qualquer coisa. A isso nós chamamos de Hedonismo. A palavra hedonismo vem do grego “ hedonikos ”, que significa “prazeroso”, já que “ hedon ” significa prazer. Como uma filosofia, o hedonismo surgiu na Grécia e teve Epícuro e Arístipo de Cirene como alguns dos nomes mais importantes. Como o hedonismo aborda a busca excessiva pelo prazer como o propósito mais importante da vida, essa doutrina entra em choque com a mensagem da Cruz de Cristo.

 

O que nos ensina o Cristianismo? Para o desespero daqueles que tentam conciliar o hedonismo com o cristianismo, na Bíblia estão registradas as seguintes palavras de Jesus: “Quem quer vir após mim, a si mesmo se negue; tome a sua cruz e siga-me”. Negar a si mesmo é um golpe duro contra aqueles que, como crianças birrentas, buscam o prazer pessoal. Porque a autonegação exige mortificar a carne e suas paixões.

 

Para piorar, Jesus cita a cruz. Embora a cruz seja um símbolo da maior prova de amor incondicional de Deus, também a cruz simboliza o sofrimento. Pois, foi lá na cruz que Jesus entregou-Se espontaneamente pelos Seus eleitos. Foi pela cruz que Ele proporcionou a vida eterna através da sua morte. Foi do alto da cruz que deu o brado de vitória consumando a sua Obra vicária. Foi pela cruz que o pecador perdido foi reconciliado com Deus.

 

A cruz também me ajuda a lembrar que, ao contrário do hedonismo, o cristianismo ensina que o meu propósito é viver para a glória de Deus, mesmo que isso me custe o conforto, a liberdade, os bens, família, lazer, dinheiro, fama, direito, reconhecimento e tudo que possa dar prazer à carne. Em suma, a cruz ensina que o meu prazer é agradar a Deus e não a mim. O meu direito é não ter direito algum. Por isso, o meu prazer está na cruz de Cristo.

 

Os conflitos interpessoais, as crises pessoais, as guerras e tensões existentes em todos os eixos da sociedade, são reflexos de uma guerra interior (Tg 4.1), travada no coração daquele que busca o prazer pessoal acima de todas as coisas e não o prazer na cruz de Cristo. A única maneira de realmente ter prazer de verdade é submetendo-se ao Senhorio de Jesus Cristo, rendendo-se aos Seus pés e declarando o seu prazer somente nele.

 

Que o Senhor Jesus te abençoe e te fortaleça para que continue se alegrando na cruz de Cristo, para a honra e glória do nosso bom Deus!


Pr. José Roberto de Oliveira
Igreja Presbiteriana de Divinópolis